Menu Principal
Principal
O Profissional
Unidades
Contato
Cirurgias e Procedimentos
Cirurgia Plástica Facial
Cirurgia Plástica Corporal
Cirurgia da Calvície
Procedimentos Estéticos
Tratamentos Estéticos
Equipamentos
Equipamentos Médicos
Equipamentos Estéticos
Informativo
Notícias
Principal arrow Cirurgia Plástica Corporal arrow Abdominoplastia
   
Abdominoplastia
Um abdome inestético, saliente, como resultado de fraqueza da musculatura abdominal, ganho de peso ou gravidez, é uma condição que incomoda muitas pessoas. Esta condição muitas vezes não responde bem a dietas ou exercícios porque a pele e os músculos estão em excesso e flácidos. O procedimento chamado Abdominoplastia ou cirurgia plástica do abdome elimina ou reduz o grau de protusão abdominal através da plicatura da musculatura do abdome e redução do excesso de gordura e pele. O objetivo desta cirurgia é melhorar o contorno corporal através da redução do abaulamento e estreitamento abdominal.

Antes da cirurgia, médico e paciente discutem o que pode ser realisticamente esperado, bem como possíveis riscos e complicações. Detalhada história clínica é feita. Instruções pré operatórias incluem a eliminação do uso de certas drogas que contém AAS/aspirina e interrupção do ato de fumar por um período prévio. O paciente deve banhar-se com sabonete anti séptico no dia anterior.
 
Após a cirurgia, o paciente permanece no hospital geralmente até o dia seguinte. O dreno, se utilizado, permanece geralmente de 1 a 3 dias. Curativos são realizados ao término da cirurgia e uma cinta compressiva abdominal é colocada. O paciente deve evitar esforços no primeiro mês, e nas primeiras semanas andar com o tronco arcado, retificando-o gradativamente. As atividades serão liberadas aos poucos, conforme a evolução individual e extensão da cirurgia.
Se você está interessado (a) em saber mais sobre a abdominoplastia, entre em contato conosco por telefone ou email, e nós teremos o prazer de responder às suas perguntas.

A seguir elaboramos um conjunto de perguntas sobre esta cirurgia que pode esclarecer suas dúvidas:

01) QUANTOS QUILOS VOU EMAGRECER COM A DERMOLIPECTOMIA ABDOMINAL?
Sendo uma cirurgia que retira determinada quantidade de pele e gordura, evidentemente haverá uma redução no peso corporal, que varia de acordo com o volume do abdome de cada paciente. Não são, entretanto, os “quilos” retirados que definirão o resultado estético, mas sim as proporções que o abdome manterá com o restante do tronco e os membros. Paradoxalmente, os abdomes que apresentam melhores resultados estéticos são justamente aqueles em que se fazem as menores retiradas. Assim é que a maioria das mulheres apresentam certa “flacidez” do abdome após 1 ou vários partos, com predominância de pele sobre a quantidade de gordura localizada na região. Estes casos nos permitem excelentes resultados.Em outros casos, em que o paciente está com o peso acima do normal, o resultado também será compensatório e proporcional ao restante do corpo; entretanto, vale a pena lembrar que “excesso de gordura” em outras regiões vizinhas do abdome ainda existirão, o que nos leva a aconselhar àquelas que assim se apresentem a prosseguir com um tratamento clínico ou fisioterápico, para equilibrar as diversas partes entre si. Outra cirurgia poderá ser eventualmente necessária para tratamento destas regiões referidas, como a lipoescultura,por exemplo.

02) A CIRURGIA DO ABDOME DEIXA CICATRIZ MUITO VISÍVEL?
A cicatriz resultante de uma dermolipecitomia abdominal localiza-se horizontalmente logo acima da implantação dos pelos pubianos, prolongando-se lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo do volume do abdome a ser corrigido.
 
abdome01.gif

Incisão abdominal

 
Esta cicatriz é planejada para ficar escondida sob as roupas de banho (há casos, mesmo em que a própria “tanga” poderá ser usada), e infalivelmente passará por vários períodos de evolução, como se segue:
a-PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto excelente e pouco  isível. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo.
b-PERÍODO MEDIATO. Vai do 30º dia até o 12º mês. Neste período haverá espessamento atural da cicatriz, bem como mudança na tonalidade de sua cor, passando de “vermelho” para o “marrom”, que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes.Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.
c-PERÍODO TARDIO: Vai do 12º ao 18º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo da cirurgia do abdome deverá ser feita após este período.

03)EM QUANTO TEMPO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?
Na resposta anterior fizemos algumas ponderações sobre a evolução da cicatriz. Resta-nos ainda acrescentar algumas observações sobre o novo abdome, no que tange à sua consistência, sensibilidade, volume, etc.
Nos primeiros meses, o abdome apresenta uma insensibilidade relativa, além de estar sujeito a períodos de “inchaço”, que regride espontaneamente.
Nesta fase, poderá ficar com aspecto de “esticado” ou “plano”. Com o decorrer dos meses,  vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. Nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado, antes de 12 a 18 meses de pós-operatório.

04)É VERDADE QUE SERÁ FEITO UM UMBIGO NOVO?
Não. O seu próprio umbigo será reinserido na pele e, se necessário, remodelado. No entanto ele continuará preso na parede abdominal. Deve-se levar em conta que circundando o umbigo existirá uma cicatriz, que sofrerá a mesma evolução da cicatriz inferior (descrita no item anterior). Pelo fato de ser uma cicatriz circular, em alguns casos a evolução poderá não ser aquela que se deseja, dando como resultado um aspecto “artificial”. Isto acontece em decorrência de problema na evolução cicatricial de certas pacientes, o que, entretanto, é passível de correção, mediante “retoque” sob anestesia local, após alguns meses. Geralmente, no entanto, o resultado é bem natural.
 abdome02.gif

Sequência de ilustrações que mostra a amarria muscular, manutenção do umbigo e remoção do excesso de pele

05)A DERMOLIPECTOMIA ABDOMINAL CORRIGE AQUELE EXCESSO DE GORDURA  SOBRE A REGIÃO DO ESTÔMAGO?
Nem sempre. Isto depende do seu tipo de tronco (conjunto tórax + abdome). Se ele for do tipo curto, dificilmente será corrigido. Sendo do tipo longo, o resultado será mais favorável. Também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste o corpo.

06)QUAL O TIPO DE MAILLOT DE BANHO QUE PODEREI USAR, APÓS A CIRURGIA?
O tipo de maillot dependerá exclusivamente de seu próprio manequim.  O intuito sempre é locar a cicatriz em área que será coberta pela roupa de banho. Lem    bre-se que o bisturi do cirurgião apenas aprimora suas próprias formas, que poderão ser melhoradas ainda mais, com cuidados de uma esteticista ou fisioterapeuta, após o primeiro mês pós-operatório.

07)PODEREI TER FILHOS FUTURAMENTE? O RESULTADO NÃO FICARÁ PREJUDICADO?
O seu médico ginecologista lhe dirá da conveniência ou não de nova gravidez. Quanto ao resultado, poderá ser preservado, desde que na nova gestação seu peso seja controlado. No entanto, como haverá uma nova distensão da pele, a mesma poderá não retrair adequadamente após o parto, bem como apresentar estrias.  
Aconselhamos, portanto, que tenha todos os filhos programados antes de se submeter a uma dermolipectomia abdominal.

08)OUVI DIZER QUE O PÓS-OPERATÓRIO DA DERMOLIPECTOMIA ABDOMINAL É MUITO DOLOROSO. É VERDADE?
Não. Uma dermolipectomia de evolução normal não deve apresentar dor. O que existe é um grande equívoco por parte de certas pacientes, que são operadas simultaneamente de cirurgias ginecológicas associadas à dermolipectomia e relatam por isso, dores pós-operatórias. Certos pacientes queixam-se de dores nas costas devido a posição que são orientados a ficar.

09)HÁ PERIGO NESTA OPERAÇÃO?
Raramente a cirurgia de dermolipectomia traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia simultaneamente a outras. Acúmulo de sangue (hematoma) ou infecção são raros, e temos recursos para combatê-los. Acúmulo de secreção serosanguinlolenta pode ocorrer, sendo eliminada pelo dreno enquanto o mesmo estiver presente ou através de pequenas punções. Alguns imprevistos na evolução podem ocorrer, como imperfeição na cicatriz ou outros. Felizmente dispomos de recursos como “retoques”ou complementações  que permitem corrigir-los num tempo futuro.
O perigo não é maior nem menor que uma viagem de avião ou de automóvel, ou mesmo o simples atravessar de uma rua.

10)QUE TIPO DE ANESTESIA É UTILIZADA PARA ESTA OPERAÇÃO?
Anestesia geral ou peridural associada à sedação.

11)QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?
De um a dois dias (evolução normal).

12)SÃO UTILIZADOS CURATIVOS?
Sim. Curativos com gaze e micropore, trocado entre o segundo e o quarto dia geralmente. Uma cinta cirúrgica é colocada no final do ato operatório e mantida por cerca de dois meses. Após a primeira troca de curativo, os mesmos são trocados periodicamente.

14)QUANDO SÃO RETIRADOS OS PONTOS?
Por volta da terceira semana removemos os pontos do umbigo. A maioria da sutura é absorvível e portanto não precisa ser removida.

15)QUANDO PODEREI TOMAR BANHO COMPLETO?
Geralmente após dois a quatro dias.

16)QUAL A EVOLUÇÃO PÓS-OPERATÓRlA?
Você não deve se esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características deste tipo de cirurgia. Assim é que, no item 2, esclarecemos sobre a evolução cicatricial (até o 18º mês). No item 3 respondemos sobre a evolução da forma do abdome, bem como a sensibilidade, consistência, etc. Entretanto, poderá lhe ocorrer alguma preocupação no sentido de “desejar atingir o resultado final antes do tempo previsto”. Seja paciente pois seu organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários que, infalivelmente chamarão a atenção de alguma de suas amigas que pode fazer a seguinte observação: “será que isto vai desaparecer mesmo?”- É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser a nós transmitida. Daremos os esclarecimentos necessários, para sua tranqüilidade. Em tempo: Em algumas pacientes, ocorre uma certa ansiedade nesta fase, decorrente do aspecto transitório (edema, insensibilidade, transição cicatricial, etc.). Isto é passageiro e geralmente reflete o desejo de se atingir o resultado final o quanto antes. Lembre-se que nenhum resultado de cirurgia do abdome deverá ser considerado como definitivo antes dos 12 aos 18  meses. Em caso geralmente de pacientes obesas, poderá ocorrer, após o 8o. dia, a “eliminação de razoável quantidade de líquido amarelado” por um ou mais pontos da cicatriz. Este fenômeno é chamado de “lipólise” e nada mais é do que a liquefação da gordura residual próxima à área da cicatriz que está  sendo eliminada, sem que isso venha a constituir complicação. Temos recursos para evitar que esse vazamento venha a lhe ocorrer em situações inoportunas.

17)QUANDO PODEREI VOLTAR A DIRIGIR?
Geralmente a partir do primeiro mês de cirurgia, porém é variável e depende da evolução individual de cada paciente.

18)O RESULTADO DESTA CIRURGIA COMPENSA?
Com certeza, quando a cirurgia é bem indicada o resultado é gratificante. Esta indicação é discutida com equipe, além da associação com eventuais outras cirurgias que podem incrementar o resultado em certos casos, como a plástica mamária e a lipoescultra.
abdome03.gif
  Pré operatório / Pós operatório
                      
RECOMENDAÇÕES SOBRE A  DERMOLIPECTOMIA ABDOMINAL
(CIRURGIA PLÁSTICA DO ABDOMEN)

A)    CUIDADOS PRÉ-OPERATÓRIOS:
O bom resultado de uma cirurgia abdominal depende muito do próprio paciente, por isso preste atenção em alguns ítens que você deve seguir.   

Se você é fumante, interrompa este hábito por pelo menos três semanas antes da cirurgia. O cigarro interfere com a boa oxigenação dos tecidos e atrapalha a cicatrização.

Não fazer uso de antiinflamatório tipo Aspirina/AAS por pelo menos duas semanas antes da cirurgia. Medicamentos para emagrecer devem também ser suspensos. Informar ao seu médico todos os medicamentos que está fazendo uso.

Usar cinta abdominal de velcro antes da cirurgia, por cerca de quatro semanas. Ela ajudará no seu pós operatório, pois fará com que você se acostume previamente com a pressão abdominal aumentada e com isso você não estranhará e provavelmente não sentirá falta de ar.

Evitar exposição solar prolongada por pelo menos duas semanas antes da cirurgia.

Fazer uso via oral de Arnica – glóbulos CH6. É encontrada em farmácias homeopáticas e deve ser iniciado seu uso uma semana antes da cirurgia, cinco(5) glóbulos quatro (4) vezes ao dia.

Vitamina C (ácido ascórbico). Tomar 1cp (1g) três vezes ao dia . Iniciar uma semana antes da cirurgia. Estes medicamentos lhe serão receitados previamente.
Programar suas atividades sociais, domésticas ou escolares de modo a não se tornar indispensável a terceiros, por um período de aproximadamente 2 semanas.

No dia anterior ou no mesmo dia da cirurgia, antes de ir para o hospital, você deve tomar banho com sabonete antiséptico (ex. soapex/protex), esfregando suavemente o abdomen com esponja delicada, incluindo o umbigo. Tricotomia (raspagem dos pelos) da região pubiana antes da internação, no dia da cirurgia.

Não usar esmalte nas unhas.

Jejum a partir das 00:00 horas do dia da cirurgia. É necessário que anestesia e cirurgia sejam feitas com pelo menos oito horas de jejum, por isso na manhã da cirurgia você não deve ingerir nada. Evitar bebidas alcoólicas ou refeições muito lautas no dia anterior.     

Lorax 2mg ou dormonid 15 mg ou stilnox. Tomar um comprimido as 22:00 horas da noite anterior. Não dirija sob efeito deste medicamento. Peça para alguém da família ou amigo(a) para lhe acompanhar até o hospital/clínica.

Comunicar qualquer anormalidade que possa lhe ocorrer, como gripe, período menstrual, indisposição, etc, até dois dias antes da cirurgia.
    
B)    CUIDADOS PÓS OPERATÓRIOS:

No mesmo dia da cirurgia você não deve sair do leito, ou seja, deve manter repouso. Você estará com uma sonda na bexiga e não necessitará ir ao banheiro para urinar. Permanecerá em jejum neste dia, podendo, a critério médico, ser liberada dieta leve e líquidos. Permanecerá com soro na veia.

No dia seguinte geralmente é retirada a sonda da bexiga e o soro da veia. Você poderá sair da cama com auxílio de alguém, mas mantendo a posição arcada, para “proteger” a cirurgia. É neste dia ou no seguinte que você poderá ir para casa, geralmente.

O dreno abdominal, que é o caninho de plástico localizado na parte inferior do abdome, é retirado somente a partir do segundo dia. Às vezes tardamos até uma semana para retirá-lo. A época para a retirada é variável e depende basicamente do débito diário. Não se preocupe se tiver que ficar com esse “acessório” por alguns dias, porque realmente pode ser necessário.

A troca do primeiro curativo é feita entre o segundo e o quarto dia geralmente. O curativo não deve ser molhado e por isso o banho tem que ser cuidadoso (banho de gato). A partir da primeira troca, provavelmente não será colocado gaze e, neste caso, o curativo poderá ser molhado durante o banho, secando-o com toalha seca e limpa em seguida. Permanecerá, no entanto, sendo utilizado gaze no umbigo, o que implicará em troca diária, visto que não pode ficar molhado o local. No local de saída do dreno (após sua retirada) também deverá ser colocado gaze e trocado diariamente até cicatrização. O cinto abdominal poderá ser retirado somente no período do banho, sendo recolocado em seguida. Deve ser mantido por um período de cerca de 2 meses. Os pontos são retirados por volta da terceira semana, no umbigo, pois os pontos da incisão inferior não são removidos (sutura absorvível).

A alimentação é normal, devendo ser dado preferência a alimentos leves nos primeiros dias após a cirurgia. Frutas e sucos  são recomendados. Dieta ou regime de emagrecimento não devem ser iniciadas antes da autorização médica, o que nunca é dada nas primeiras semanas de pós operatório.

Cigarro é totalmente proibido. Tanto antes como depois da cirurgia. Porém, se você fuma e não quer ou não consegue abandonar este vício, deve pelo menos se abster por três semanas após a cirurgia - que totalizará seis, visto que já deve ter se abstido três semanas antes da cirurgia.

Manter o uso da  Arnica - glóbulos por cerca de um mês após a cirurgia ( 5 glóbulos/4 vezes ao dia).

Manter uso da Vitamina C (1g  8/8 horas) por um mês.

Fazer uso de antiinflamatório (Scaflan 1 cp de 8/8 hs ou Voltaren 100 mg de 12/12 hs ou Tilatil 1 cp de 20 mg 12/12 hs) por cinco dias. Estes medicamentos serão prescritos e a receita lhe entregue na sua alta.

A posição arqueada é muito importante. Deverá ser mantida por cerca de quatro semanas, e o retorno do corpo para posição ereta na deambulação tem que ser devagar e gradativa.

Provavelmente você estará se sentindo tão bem a ponto de esquecer-se que foi operada recentemente. Cuidado! A euforia poderá levá-la a esforço inoportuno, o que determinará certos transtornos.

Evitar qualquer esporte físico por um mês. Atividade física rigorosa, exercícios físicos intensos ou os que envolvem contato físico ou risco de contato físico devem ser evitados por três meses. Atividade sexual pode ser realizada com cuidado a partir do primeiro mês.

Fazer uso do esparadrapo antialérgico - micropore- por seis meses no local da incisão. Produzirá melhor resultado estético da cicatriz. Caso haja alergia, utilizamos uma placa ou pomada de silicone. Até o sexto mês, ou a fita ou a pomada deve ser utilizada.
Qualquer dúvida não hesite em perguntar.
 
Próximo >
Hospedado e Desenvolvido por Guia Assis Network lfdiass@terra.com.br