Cirurgia pós-perda acentuada de peso

Quando um paciente perde peso demasiadamente será candidato (a) provavelmente a várias cirurgias. Portanto não há uma cirurgia indicada para ele (a), e sim geralmente um conjunto delas.

Para definirmos um paciente obeso, devemos levar em conta seu peso e estatura. É uma fórmula simples com a qual calculamos o índice de massa corporal (IMC) de cada paciente. Dividimos o peso em quilogramas pela altura ao quadrado em metros. Se o resultado for inferior a 18, é baixo peso; se entre 18 e 25, peso normal; se entre 25 e 30, sobrepeso; se entre 30 e 40, obesidade e acima de 40, obesidade mórbida. Um paciente com 80 Kg e 1,60m é obeso (a), pois seu IMC é 31,25 (80kg/ (1,6×1,6=2,56)).

Hoje em dia a realização de cirurgia para perda de peso é muito comum, e contribuiu em muito para aumentar esta população de pacientes (ex obesos). Antes, apenas os pacientes que perdiam muito peso com regimes entravam neste grupo, o que convenhamos não é nada fácil. Perder 3 a 5 kg num regime é bem diferente de perder 20, 30 e às vezes até mais de 50 kg. A cirurgia permite isso, pois diminui o tamanho do estômago e pode restringir a absorção de nutrientes, dependendo da técnica utilizada.

A pele quando é estirada e depois volta à posição original pode não voltar como era antes, pode apresentar grau variável de flacidez. Isso depende de sua qualidade, como turgor, elasticidade, presença ou não de estrias, genética, etc. Porém depende também de outros fatores, como má circulação devido ao tabagismo, foto envelhecimento devido à exposição exagerada ao sol e, claro, grau de distensão. Isto significa que quanto mais acima do peso o paciente está e chega ao seu peso ideal, mais chance de ter flacidez. Portanto o paciente que perde muito peso pode ter indicação de realizar cirurgia em todos os locais que apresentarem flacidez.

img_perdaacentuadapeso01
Paciente após perder muito peso, apresentando importante flacidez abdominal, em coxas, mamas e braços.

Saiba Mais

As cirurgias corporais mais comuns após perda acentuada de peso podem ser divididas em dois grupos maiores. As superiores, que envolvem plástica mamária, de dorso e braços e as inferiores, que englobam as de coxas, abdômen e flancos. Além das cirurgias corporais, pacientes podem apresentar flacidez facial, e então a cirurgia de face é indicada.

Se você está interessada em saber mais sobre as cirurgias realizadas após perda importante de peso, entre em contato conosco por telefone, e-mail ou facebook, e nós teremos o prazer de responder às suas perguntas.

A seguir elaboramos um conjunto de perguntas mais comuns que os pacientes que perdem muito peso fazem :

01)P: POSSO SER SUBMETIDA (O) A TODAS AS CIRURGIAS EM UM TEMPO CIRÚRGICO ÚNICO?
R: Depende das cirurgias que foram indicadas para você. Duas a três cirurgias conjugadas podem ser realizadas sem problemas, claro após rigorosa avaliação do seu estado de saúde. Isto dependerá de suas prioridades. No entanto é inviável operar os braços, mamas, dorso, abdômen, coxas e flancos num mesmo tempo e, portanto, não realizamos tal associação.

02)P: VOU EMAGRECER AINDA MAIS COM A CIRURGIA?
R: Você perderá um pouco de peso, correspondente ao montante de tecido removido. Dependendo das cirurgias indicadas, isso ocorrerá em maior ou menor intensidade. Por exemplo, uma braquioplastia (plástica de braços) associada à plástica de mamas, geralmente perde menos tecido que uma plástica de abdome associado aos flancos.

03) P: ONDE SE LOCALIZAM AS CICATRIZES? COMO ELAS EVOLUEM?
R: No caso da cirurgia de tronco inferior, se localizará nos locais descritos para a cirurgia plástica de abdome (dermolipectomia abdominal), cirurgia plástica dos flancos (dermolipectomia de flancos) e cirurgia plástica de coxas (dermolipectomia de coxas). A plástica de abdome associada a dos flancos gera incisão, e, portanto, cicatriz em todo o diâmetro do tronco inferiormente. Às vezes é necessária a realização da incisão vertical abdominal (cicatriz em âncora). As cicatrizes nas coxas podem ser somente na raiz, porém após perda acentuada de peso a flacidez é grande e necessita cicatriz vertical, que pode até ultrapassar os joelhos inferiormente.

img_perdaacentuadapeso02

Ressecção de tecido em área marcada. Resultará cicatriz abdominal inferior (como na maioria das plásticas de abdome) associada à vertical, conhecida como em âncora (A), cicatriz posterior em região de flancos, que se junta com a anterior (B), e cicatriz em coxas (C).

No caso da cirurgia de tronco superior, se localizará nos locais descritos para a cirurgia de braço, mamas e dorso.

img_perdaacentuadapeso03Ressecção de tecido em área marcada. Resultará cicatriz em dorso (A), braços que neste caso avança para o tórax (braquioplasta em “L”) (B) e mamas (C).

As cicatrizes infalivelmente passarão por vários períodos de evolução, como se segue:
a-PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto excelente e pouco visível. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo.

b-PERÍODO MEDIATO. Vai do 30º dia até o 12º mês. Neste período haverá espessamento natural da cicatriz, bem como mudança na tonalidade de sua cor, passando de “vermelho” para o “marrom”, que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes. Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.

c-PERÍODO TARDIO: Vai do 12º ao 18º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo da cirurgia do abdome deverá ser feita após este período.

04)P: EM QUANTO TEMPO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?
R: Na resposta anterior fizemos algumas ponderações sobre a evolução da cicatriz. Devemos considerar também a cirurgia específica (e você deve ler o folheto específico da cirurgia que lhe foi indicada), porém nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado, antes de 12 a 18 meses de pós-operatório.

05)P: PODEREI TER FILHOS FUTURAMENTE? O RESULTADO NÃO FICARÁ PREJUDICADO?
R: O seu médico ginecologista lhe dirá da conveniência ou não de nova gravidez. Quanto ao resultado, poderá ser preservado, desde que na nova gestação seu peso seja controlado. Dependerá também da cirurgia que você tiver sido submetida. Se for a plástica de abdômen, por exemplo, como haverá uma nova distensão da pele, a mesma poderá não retrair adequadamente após o parto, bem como apresentar mais estrias.

06)P: HÁ PERIGO NESTA OPERAÇÃO?
R: Raramente estas cirurgias trazem sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório, além de ponderarmos sobre a conveniência das associações de cirurgias. Por isso não realizamos mais do que três cirurgias no mesmo ato. Acúmulo de sangue (hematoma) ou infecção são raros, e temos recursos para combatê-los. Acúmulo de secreção serosanguinlolenta pode ocorrer, sendo eliminada pelo dreno enquanto o mesmo estiver presente ou através de pequenas punções. Alguns imprevistos na evolução podem ocorrer, como imperfeição na cicatriz ou outros. Felizmente dispomos de recursos como “retoques” ou complementações que permitem corrigi-los num tempo futuro.

O perigo não é maior nem menor que uma viagem de avião ou de automóvel, ou mesmo o simples atravessar de uma rua.

img_perdaacentuadapeso04Pré e Pós-operatórios de paciente submetida à plástica abdominal em âncora (com ressecção de pele inferior e no centro) e plástica de braços com extensão para o tórax. A paciente emagreceu muito e apresentou flacidez importante.

07)P: QUE TIPO DE ANESTESIA É UTILIZADA PARA ESTA OPERAÇÃO?
R: Anestesia geral ou peridural associada à sedação.

08)P: QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?
R: De um a dois dias (evolução normal).

09)P: SÃO UTILIZADOS CURATIVOS?
R: Sim. Curativos com gaze e micropore, trocado entre o segundo e o quarto dia geralmente. Uma cinta cirúrgica é colocada no final do ato operatório e mantida por cerca de dois meses. Após a primeira troca de curativo, os mesmos são trocados periodicamente. Se utilizarmos um curativo especial chamado Príneo, o mesmo só é removido cerca de 3 semanas após a cirurgia, podendo ser molhado já no dia seguinte.

10)P: QUANDO SÃO RETIRADOS OS PONTOS?
R: A maioria da sutura é absorvível e, portanto, não precisa ser removida.

11)P: QUANDO PODEREI TOMAR BANHO COMPLETO?
R: Geralmente após dois a quatro dias.

12) P: QUAL A EVOLUÇÃO PÓS-OPERATÓRlA?
R: Você não deve se esquecer de que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características deste tipo de cirurgia. Assim é que, na pergunta 3, esclarecemos sobre a evolução cicatricial (até o 18º mês). Em relação à forma, consistência e sensibilidade, seja paciente, pois preocupação no sentido de “desejar atingir o resultado final antes do tempo previsto” não lhe fará bem. Seu organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários que, infalivelmente chamarão a atenção de alguma de suas amigas que pode fazer a seguinte observação: “será que isto vai desaparecer mesmo?”- É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser a nós transmitida. Daremos os esclarecimentos necessários, para sua tranquilidade. Em tempo: Em algumas pacientes, ocorre certa ansiedade nesta fase, decorrente do aspecto transitório (edema, insensibilidade, transição cicatricial, etc.). Isto é passageiro e geralmente reflete o desejo de se atingir o resultado final o quanto antes. Lembre-se que nenhum resultado destas cirurgias deverá ser considerado como definitivo antes dos 12 aos 18 meses. Não é incomum, após o oitavo dia, a “eliminação de razoável quantidade de líquido amarelado” por um ou mais pontos da cicatriz. Este fenômeno é chamado de “lipólise” e nada mais é do que a liquefação da gordura residual próxima à área da cicatriz que está sendo eliminada, sem que isso venha a constituir complicação. Temos recursos para evitar que esse vazamento venha a lhe ocorrer em situações inoportunas.

13)P:QUANDO PODEREI VOLTAR A DIRIGIR?
R: Geralmente a partir do primeiro mês de cirurgia, porém é variável e depende da evolução individual de cada paciente.

14)P:O RESULTADO DESTAS CIRURGIAS COMPENSA?
R: Com certeza, quando as cirurgias são bem indicadas o resultado é gratificante. Esta indicação é discutida com equipe, para definirmos quais cirurgias deverão ser realizadas num primeiro tempo.

RECOMENDAÇÕES SOBRE AS CIRURGIAS EM PACIENTES QUE PERDERAM MUITO PESO

A)CUIDADOS PRÉ-OPERATÓRIOS:

O bom resultado de cirurgias plásticas dependem muito do próprio paciente, por isso preste atenção em alguns itens que você deve seguir.
É importante que você leia o folheto específico da cirurgia que lhe foi indicada.
Se você é fumante, interrompa este hábito por pelo menos 1 mês antes da cirurgia. O cigarro interfere com a boa oxigenação dos tecidos e atrapalha a cicatrização.
Não fazer uso de anti-inflamatório tipo Aspirina/AAS por pelo menos duas semanas antes da cirurgia. Medicamentos para emagrecer devem também ser suspensos. Informar ao seu médico todos os medicamentos que está fazendo uso.
Evitar exposição solar prolongada por pelo menos duas semanas antes da cirurgia.
Fazer uso via oral de Arnica – glóbulos CH6. É encontrada em farmácias homeopáticas e deve ser iniciado seu uso dois dias antes da cirurgia, cinco (5) glóbulos quatro (4) vezes ao dia.
Vitamina C (ácido ascórbico). Tomar 1cp (500mg) três vezes ao dia. Iniciar dois dias antes da cirurgia. Estes medicamentos lhe serão receitados previamente.
Programar suas atividades sociais, domésticas ou escolares de modo a não se tornar indispensável a terceiros, por um período de aproximadamente 4 semanas.
No dia anterior ou no mesmo dia da cirurgia, antes de ir para o hospital, você deve tomar banho com sabonete antisséptico (ex. soapex/protex), esfregando suavemente o corpo, preferencialmente as áreas que serão operadas.
Não usar esmalte nas unhas.
Jejum a partir das 00:00 horas do dia da cirurgia. É necessário que anestesia e cirurgia sejam feitas com pelo menos oito horas de jejum, por isso na manhã da cirurgia você não deve ingerir nada. Evitar bebidas alcoólicas ou refeições muito lautas no dia anterior.
Lorax 2mg ou dormonid 15 mg ou stilnox. Tomar um comprimido as 22:00 horas da noite anterior. Não dirija sob efeito deste medicamento. Peça para alguém da família ou amigo (a) para lhe acompanhar até o hospital/clínica.
Comunicar qualquer anormalidade que possa lhe ocorrer, como gripe, período menstrual, indisposição, etc., até dois dias antes da cirurgia.

B)CUIDADOS PÓS OPERATÓRIOS:

No mesmo dia da cirurgia você não deve sair do leito, ou seja, deve manter repouso. Você estará com uma sonda na bexiga e não necessitará ir ao banheiro para urinar. Permanecerá em jejum neste dia, podendo, a critério médico, ser liberada dieta leve e líquidos. Permanecerá com soro na veia.
No dia seguinte geralmente é retirada a sonda da bexiga e o soro da veia. Você poderá sair da cama com auxílio de alguém, mas mantendo os cuidados específicos da cirurgia que foi submetido (a). É neste dia ou no seguinte que você poderá ir para casa, geralmente.
Drenos, quando colocados, são retirados somente a partir do segundo dia. Às vezes tardamos até uma semana para retirá-lo. A época para a retirada é variável e depende basicamente do débito diário. Não se preocupe se tiver que ficar com esse “acessório” por alguns dias, porque realmente pode ser necessário.
A troca do primeiro curativo é feita entre o segundo e o quarto dia geralmente. O curativo não deve ser molhado e por isso o banho tem que ser cuidadoso (banho de gato). Após algumas trocas, geralmente a partir de uma semana, provavelmente não será colocada gaze e, neste caso, o curativo poderá ser molhado durante o banho, secando-o com toalha seca e limpa em seguida. Quando você for liberada (o) para banho, a malha compressiva poderá ser removida antes, sendo colocada em seguida. Deve ser mantida por um período de cerca de 2 meses. Se utilizarmos o curativo Príneo, este poderá ser molhado já no dia seguinte, não precisando ser trocado. É removido após cerca de 3 semanas.
A alimentação é normal, devendo ser dado preferência a alimentos leves nos primeiros dias após a cirurgia. Frutas e sucos são recomendados. Dieta ou regime de emagrecimento não devem ser iniciadas antes da autorização médica, o que nunca é dada nas primeiras semanas de pós-operatório.
Cigarro é totalmente proibido. Tanto antes como depois da cirurgia. Porém, se você fuma e não quer ou não consegue abandonar este vício, deve pelo menos se abster por 1 mês após a cirurgia – que totalizará dois, visto que já deve ter se abstido por 1 mês antes da cirurgia.
Manter o uso da Arnica – glóbulos por cerca de um mês após a cirurgia ( 5 glóbulos/4 vezes ao dia).
Manter uso da Vitamina C (500mg 8/8 horas) por um mês.
Fazer uso de anti-inflamatório por cinco dias. Estes medicamentos serão prescritos e a receita lhe entregue na sua alta.

Provavelmente você estará se sentindo tão bem a ponto de esquecer-se que foi operada recentemente. Cuidado! A euforia poderá levá-la a esforço inoportuno, o que determinará certos transtornos.

Evitar qualquer esporte físico por um mês. Atividade física rigorosa, exercícios físicos intensos ou os que envolvem contato físico ou risco de contato físico devem ser evitados por três meses. Atividade sexual pode ser realizada com cuidado a partir do primeiro mês.
Fazer uso do esparadrapo antialérgico – micropore- por seis meses no local da incisão. Produzirá melhor resultado estético da cicatriz. Caso haja alergia, utilizamos uma placa ou pomada de silicone. Até o sexto mês, ou a fita ou a pomada deve ser utilizada.
Qualquer dúvida não hesite em perguntar.